Entenda o que são cursos lato sensu — e descubra se valem a pena

0
101

Lato sensu, strictu senso, especialização, MBA, aperfeiçoamento… São tantos os termos no ensino superior brasileiro que é normal se sentir um pouco perdido(a). Mas não se preocupe, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre cursos lato sensu. Confira!

Os famosos programas de MBA (Master Business Administration) são cursos lato sensu no Brasil.

Cursos lato sensu e strictu sensu: diferenças e semelhanças

Os cursos lato sensu, como fica claro ao traduzirmos o termo do latim, são cursos em “sentido amplo”. Eles se opõem aos cursos stricto sensu, ou seja, em sentido restrito. Ambos têm características básicas em comum, como:

  • Oferecem formações de pós-graduação;
  • exigem diploma de graduação – bacharelado, licenciatura ou tecnólogo – para serem cursados;
  • são programas regulamentados pelo Ministério da Educação (MEC), com carga horária mínima exigida;
  • podem ser oferecidos presencialmente ou na modalidade Educação a Distância (EaD).

Porém, enquanto o lato sensu designa cursos de especialização e MBA (Master Business Administration), o stricto sensu refere-se a cursos de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Saiba mais sobre cada uma dessas modalidades, abaixo.

Cursos lato sensu

Os cursos de pós-graduação lato-sensu, também chamados de cursos de especialização, são programas de educação continuada que, segundo o Artigo 1 da Resolução CNE/CES nº 1 de 06 de abril de 2018, têm os objetivos de “complementar a formação acadêmica, atualizar, incorporar competências técnicas e desenvolver novos perfis profissionais, com vistas ao aprimoramento da atuação no mundo do trabalho e ao atendimento de demandas por profissionais tecnicamente mais qualificados (…)”. Esses cursos não oferecem diploma – apenas certificado – e não concedem título de mestre/doutor.

Cursos stricto sensu

Como define o Conselho Nacional de Educação, os cursos de mestrado e doutorado se diferenciam pela duração, complexidade, aprofundamento e natureza do trabalho de conclusão. Além de mais longos (cerca de dois anos para mestrados e quatro para doutorados), os programas stricto sensu exigem mais tempo de dedicação e maior aprofundamento teórico, além de projetos de conclusão de curso que envolvem uma pesquisa extensa. Ao fim desses cursos, os estudantes recebem um diploma e um título (mestre/doutor).

Lato sensu x stricto sensu: diferenças em resumo

É possível ver a pós-graduação lato sensu como uma formação mais voltada à especialização, atualização e aperfeiçoamento do profissional disposto a atuar no mercado de trabalho, enquanto mestrado e doutorado têm um forte foco na teoria e na pesquisa, tornando-se essenciais para quem deseja seguir a carreira acadêmica.

Embora também existam mestrados profissionalizantes, que dedicam mais espaço à prática e ao mercado, ainda assim a carga horária mais extensa, o nível de aprofundamento e a importância do estudo e da teoria prevalecem nesses cursos frente aos lato sensu.

Diferenças entre especialização e aperfeiçoamento

Outra dúvida frequente em relação a termos que designam cursos realizados após a graduação é a seguinte: especialização e aperfeiçoamento é a mesma coisa? Para o MEC, não. Os cursos de aperfeiçoamento não carregam o mesmo peso dos de especialização, não podendo ser considerados formações de pós-graduação lato sensu. Veja:

  • Cursos de aperfeiçoamento: cursos com carga horária mínima de 180 horas, destinados a profissionais no exercício de uma determinada ocupação. Visam ao aperfeiçoamento do desempenho do profissional em uma função específica e oferecem certificado, contudo, possuem somente valor profissional, não acadêmico.
  • Cursos de especialização: cursos de pós-graduação lato sensu, com duração mínima de 360 horas. Obedecem a uma série de normas e diretrizes estabelecidas pela Resolução CNE/CES nº 1, como a de que o corpo docente do curso seja constituído por, no mínimo, 30% de portadores de título de pós-graduação stricto sensu. Incluem os cursos de MBA, oferecem certificado e possuem valor acadêmico.

Vale a pena fazer um curso lato sensu?

A resposta para essa pergunta é: depende. Há muitas razões para fazer uma especialização ou MBA: os cursos lato sensu são uma ótima forma de aprender mais sobre a sua área de atuação, atualizar seus conhecimentos e especializar-se em determinados temas. Também são uma adição enriquecedora ao seu currículo e uma ótima forma de fazer contatos. No entanto, lembre-se de considerar alguns aspectos importantes:

  • Avalie se uma especialização é mais adequada para você do que um programa stricto sensu ou mesmo um curso de aperfeiçoamento;
  • pondere se você tem o tempo e o dinheiro disponível para investir nessa formação no momento;
  • pesquise sobre a reputação da instituição e do curso;
  • analise a grade curricular oferecida;
  • por fim, faça uma lista de prós e contras para tomar a sua decisão final!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui