Relatório aponta que a maioria dos Bitcoins em circulação está armazenada em carteiras de investimento

0
156

A maioria dos Bitcoins (BTC) em circulação está armazenada em carteiras de investimento, de acordo com um novo relatório da indústria de criptomoedas e do boletim de análise Diar.

De acordo com uma publicação da agência de notícias Cointelegraph, a análise mostra que 55% dos Bitcoins são atualmente mantidos em carteiras avaliadas em mais de US$1,3 milhão, constituindo saldos de mais de 200 BTC. Um terço do BTC dessas carteiras nunca teria sido usado em transações de saída desde o pico de preços do Bitcoin em dezembro de 2017, devido a “chaves privadas perdidas, redução do suprimento real ou uma resolução muito forte dos apoiadores das criptomoedas”.

De acordo com o estudo, 27% dessas carteiras continuam a acumular mais moedas. Diar, no entanto, afirma que essas propriedades não indicam um certo número de indivíduos, observando que as maiores carteiras são de propriedade de casas de câmbio. Um valor de US$4,2 bilhões, ou 3,8% do total do suprimento de BTC, está atualmente nas cinco principais carteiras administradas pelas exchanges de criptomoedas.

87% dos Bitcoins são mantidos em carteiras com mais de 10 BTC, cujo valor total representa cerca de US$100 bilhões do valor de mercado total até o fechamento deste artigo, mas apenas 0,7% de todos os endereços BTC. 62% de todo o BTC pendente é armazenado em carteiras com mais de 100 BTC, representando apenas 0,1% de todos os endereços.

Em janeiro, a Cointelegraph informou que 80% de toda a oferta de Bitcoin, ou 16,8 milhões de Bitcoins, haviam sido extraídos. O Bitcoin tem um limite de 21 milhões de unidades conforme o protocolo criado por Satoshi Nakamoto, mencionado pela primeira vez no white paper de 2008, como uma forma de introduzir a escassez digital à criptomoeda. Isso significa que apenas 4,2 milhões de Bitcoins, ou 20%, foram emitidos até que o limite de 21 milhões de unidades da criptomoeda seja emitida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui