Turismo deve faturar 7,5% mais no ano, prevê FGV

Em 2012, o total do faturamento das 80 empresas que responderam a pesquisa foi de R$ 57,6 bilhões

As empresas do setor de turismo devem elevar em 7,5% seu faturamento neste ano. O maior avanço deve ser registrado pelas agências de viagens, com alta de 16,4% no faturamento entre 2012 e 2013, seguido das locadoras de automóveis, com aumento de 14,8%, e dos meios de hospedagem, com 12,5%. Os dados fazem parte da Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo, realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e pelo Ministério do Turismo, divulgados nesta quinta-feira, 6.

Em 2012, o total do faturamento das 80 empresas que responderam a pesquisa foi de R$ 57,6 bilhões. Este ano, o ritmo de avanço do faturamento cairá à metade, segundo o estudo. Entre 2011 e 2012, o setor de turismo registrou alta de 13,1% do faturamento.
“As perspectivas que o setor são muito positivas”, afirmou o ministro do Turismo, Gastão Vieira, que reforçou que a desoneração da folha de pagamento de hotéis e resorts teve papel central para o setor. “Os investimentos nesse segmento estão aumentando. Passamos quase 30 anos sem investimentos no setor de turismo, e agora isso está vindo”, disse o ministro.

A alta de preços no setor, por outro lado, aponta para um ritmo muito mais positivo ao setor e aos consumidores em 2013. No ano passado, segundo a pesquisa da FGV e do Turismo, os preços do setor aumentaram 9,6%. Já neste ano, as empresas avaliam que os preços devem aumentar apenas 3,8%, “abaixo inclusive da estimativa para a inflação oficial, de cerca de 6%”, segundo o levantamento.

Todos os ramos de atividade, que incluem agências de viagens, hotéis e resorts, transporte aéreo, locadoras de veículos, promotores de feiras e organizadores de eventos, ouvidos pela FGV declararam que pretendem fazer investimentos em 2013. Segundo as empresas, os investimentos neste ano vão atingir 13,3% do faturamento total. “Há uma verdadeira reinvenção do setor de turismo, em especial das agências de viagens, que aumentaram muito seus investimentos nos últimos anos”, disse o pesquisador Luiz Gustavo Barbosa, coordenador nacional de turismo da FGV.

De acordo com Barbosa, as perspectivas para o restante de 2013 são “extremamente positivas” por causa dos grandes eventos que ainda serão realizados – como a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude Católica. Além disso, o pesquisador aponta que a retomada da economia brasileira deve influenciar o segmento como um todo. “Isso aumenta ainda mais a demanda por viagens na nova classe média”, disse.

Para Vinicius Lummertz, secretário de Políticas para o Turismo do Ministério do Turismo, os dados da pesquisa apontam que o setor vai crescer “até três vezes mais” do que o PIB entre 2014 e 2016, período em que o País vai sediar a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. “A base do turismo no Brasil economicamente ainda não é madura, então a alta que prevemos para os próximos anos é forte, já que os investimentos são necessários e estão saindo do papel”, disse Lummertz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here